A “murraça”nas águas não dava grande escolha cá pelas águas alentejanas.

Dentro das hipóteses e ao dar uma vista de olhos no meu caderninho de apontamentos, vi que existiam condições para fazer uns peixes na Praia Vasco da Gama em Sines.

As condições eram bastante semelhantes a outras noites de pesca em que ali fiz boas Douradas.

Assim foi….

Ao chegar à praia, que dadas as condições climatéricas estava praticamente vazia, reparei que existiam “dois banhistas” ainda nas águas da baía. 
Como é óbvio a pesca por ali “estava feita”, conhecendo um pouco a espécie, eu sabia que enquanto ali existisse o alimento que perseguiam, dali não iam sair tão cedo.

Ao contemplá-los ainda pensei:

Mas…será estes gajos também têm um Caderninho de apontamentos?!!” 

Bem, eles chegaram primeiro como tal, tenho de respeitar!! 

Mais tarde tive conhecimento que já se encontravam na baía à uma semana num belo frenesim alimentar.

Apenas me restava ficar a contemplar ESTES MAGNÍFICOS “BANHISTAS”, o que fiz durante as duas horas que se seguiram. 

Pois….

Em relação à pesca, essa resumiu-se a uma noite na Praia de São Torpes a devolver pequenas Douradas e Sargos.

Mas valeu a imagem daqueles golfinhos, mais uma vez o MAR a presentear os presentes com A IMPORTÂNCIA DAQUILO QUE TEMOS OBRIGATORIAMENTE DE PRESERVAR. 

Bons Lances 

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior À mulher do pescador (desportivo)
Próximo Open de Pesca Solidário em Mira “Vamos ajudar a Larinha” foi um sucesso.