Introdução à pesca à bóia

Com a constante evolução a pesca à bóia mantém como principal elemento entre o anzol e a cana uma bóia que faz com que o isco flutue e pareça mais natural dentro de água acabando por percorrer uma área definida pelos ventos e pelas correntes que podemos chamar o trabalhar da bóia.

Para iniciarmos este tipo de pesca vamos precisar de algum equipamento específico vamos abordar por tópicos o que existe no mercado:

Canas

Geralmente canas telescópicas  de 4.5/5/6 metros depende da distância a que pescamos da nossa bóia em relação ao pesqueiro que temos na nossa frente, geralmente as canas maiores utilizam-se em altura e em locais onde existam rochas que possam dificultar a recolha da nossa bóia ou a captura de peixe.

Carretos

Na pesca à bóia pretende-se sempre um carreto que tenha uma recuperação alta, e que seja leve e pequeno, visto passarmos largas horas com a cana na mão o conjunto deve ser leve e poderoso.

Engodo

O engodo geralmente é utilizado na pesca à bóia de forma a atrair e tornar os ataques mais vorazes das espécies que procuramos.

De uma forma sintética vamos então explicar como podemos fazer esta massa de peixe.

A sardinha é o engodo mais utilizado, colocamos as sardinhas num balde adicionamos um pouco de água para que seja mais fácil a sua trituração e com a ajuda de um migadouro vamos migar a sardinha, podemos juntar areia para que esta “papa” afunde mais rapidamente, podemos também adicionar óleo de sardinha ou farinha de peixe.

Bóias

Este equipamento é bastante discutível pois devemos adequar a gramagem da bóia às condições que temos à nossa frente vamos dar alguns exemplos que vos possam guiar em caso de dúvidas.

Existem inúmeros tipos de bóias no mercado mas temos que perceber se são fixas ou de correr, bóia fixa permite-nos pescar a profundidades menores mas acaba por ser mais prática a sua montagem.

Bóia de correr como o próprio nome indica a bóia corre no fio até ao nosso batente de borracha, o stopper para regularmos a profundidade da nossa iscada a bóia poderá trabalhar à altura desejada mesmo que esta seja superior ao tamanho da cana que estamos a utilizar. Na imagem podemos ver alguns piões de correr de cortiça são bastante utilizados na nossa costa principalmente na zona Litoral oeste.

Gramagens

Pesca aos carapaus – Geralmente bóias entre as 6 e as 12 gramas.

Pesca aos sargos e robalos – Bóias a começar nas 15 gramas podendo ir até às 70 gramas.

Quando referimos a gramagem das bóias estamos a falar da capacidade máxima suportada pela bóia .

Que fios devemos usar?

O ideal será um fluorcarbono 100% obviamente estes fios são mais caros mas as suas prestações são mais altas devido à sua invisibilidade dentro de água, à sua elasticidade quase nula permite-nos uma ferragem mais eficaz, e a sua resistência à abrasão ser superior a um monofilamento normal, existem várias opções no mercado evidentemente que na pesca à bóia pretende-se fios finos com a máxima resistência.

Medidas: Geralmente podem ir do 0,16 ao 0,30 dependendo das condições e obviamente as decisões de cada um sabemos que quanto mais fino pescarmos mais hipóteses temos de enganar os nossos peixes que são inteligentes e que não se deixam enganar facilmente.

Inicialmente recomendamos fios entre 0,22 e 0,30 durante a noite podemos utilizar fios mais grossos pois a visibilidade será inferior.

Fio do carreto

O fio recomendado será um bom multifilamento  0,18 / 0,22 mm, de preferência entrançado de 8 linhas confere uma resistência muito superior ao de 4 linhas ou 4 braid destacando também a sua mínima elasticidade potenciando uma ferragem rápida no momento em que a bóia afunda.

As gramagens devem ser aumentadas quando?

O mar apresenta maior ondulação, ou quando estamos a pescar longe da nossa boia e temos dificuldade em observar o seu comportamento.

Com a experiência vamos conseguir adequar a gramagem através de uma observação ao nosso pesqueiro , mas lembrem-se que quanto mais leve pescamos mais hipóteses temos de ferrar o nosso peixe, o nosso desafio sempre é encontrar um equilíbrio perfeito desafiando sempre os nossos conhecimentos e as nossas tentativas e fracassos que contribuem efetivamente para o nosso crescimento em quanto pescadores.

Como calibrar uma bóia?

Vamos ter que aprender a calibrar uma bóia se quisermos pescar com bóias simples:

1º passo- Escolher a nossa boia adequando às condições do mar e pesqueiro.

2ºpasso- Verificar a gramagem máxima da bóia vamos imaginar 20 gramas, neste caso colocamos 15 gramas de chumbo no mínimo e depois ao colocarmos na água com o peso do isco vamos perceber se a bóia está a trabalhar em condições isto é na vertical se necessário adicionamos pequenos chumbos de 1 grama ou 2 para que a nossa bóia trabalhe na perfeição.

3º Passo- O chumbo pode ser distribuído ou não dependendo da preferência de cada um.

A altura do estralho?

Deverá ser um factor importante a ter em conta isto é, deverá sofrer ajustes com a variação da maré, o principal objectivo será a sua proximidade, o isco, com o fundo.

Starlights quando devemos usar?

Os starlights devem ser usados na pesca noturna ajudam-nos a localizar a nossa bóia e caso afunde sabemos que poderá ser um ataque do nosso tão desejado troféu.

Leiam o nosso artigo de como iscar com sardinha aí podem ver as várias formas de iscar e o tamanho adequado da nossa iscada.

A todos desejamos boas jornadas de pesca desfrutando desta modalidade de pesca e tudo o que ela proporciona de bom no seu meio ambiente natural, algumas das matérias serão alvo de artigos mais desenvolvidos e específicos por áreas ou materiais.